Muito nublado

Terça | 20 Novembro

31C

35

23

Descubra o País < voltar

Matemo Island Resort

Ficamos enfeitiçados, qual Cupido na alma do viajante

23/03/2009 | Fonte: Por Teresa Cotrim

Fotos

Foto: Teresa Cotrim

Fotos

  • Dhow in front of Matemo
  • Skipper
  • Beach Waiter
  • Bar lounge
  • Bar and pool sunset
  • Zanzibar bed
  • Romantic sunset walk
  • Preparing for beach dinner
  • Preparing for beach dinner
  • Matemo chalets from beach
  • Matemo chalets from beach
  • Matemo beach and dhows
  • Local village woman
  • Knee boarding
  • Exterior rooms
  • Double room interior
  • Crayfish lunch
  • Crab
  • Beach umbrellas and loungers

Dhow in front of Matemo1 de 19

O voo de Pemba para a ilha de Matemo deixa-nos sem fala. É de uma beleza única. As tonalidades formam uma pintura gigante de uma harmonia sobrenatural. Só pode ter sido pintado pela mão divina. Não dá para descrever.

O Sapo fotografou a viagem quase toda poderá vê-la no álbum de fotos, assim ficará com uma pequena amostra de um pedaço do paraíso. Quando o avião toca o solo ainda estamos embriagados da viagem. Somos amavelmente recebidos com uma tabuleta que diz Bem-vindo a Matemo, República de Moçambique ao longe brilha um intenso mar azul turquesa. O calor aperta. Sufoca.

Segundo rezam as lendas locais, o nome vem da arte de fazer as casas com pedras e caniço. O acto de “maticar” deu origem ao nome desta ilha. Tem 28 km de cumprimento e 7 de largura. Consta que foi dado por um líder da aldeia que desobedeceu ao Governador da época, tendo por isso sido morto com a tortura do Moinho na vizinha ilha do Ibo, então antes de partir quis deixar a sua marca e criou este nome uma vez que tinha ajudado a edificar a aldeia.

Pernoita-se no Matemo Island, único resort da ilha onde somos recebidos por Tony, director que é de uma simpatia indescritível. Há dez anos que vive em Moçambique e por ele já passaram muitos hotéis, muitos empregados e muitos lançamentos de novos projectos do Grupo Rani, a quem pertence este empreendimento.

Conhece o povo, a cultura e os hábitos dos moçambicanos como a palma da sua mão e fala do povo com imenso carinho. Em Matemo está apenas há três semanas e sabe que muito tem ainda a fazer com a população local, pois este hotel foi inaugurado em 2005 com algum tempo de adaptação dos habitantes da ilha.

Quando chegamos ao hall de entrada somos abençoados com uma toalha fresca perfumada para acalmar o calor que nos consome a pele. Junto um sumo de maçã bem gelado e, quase sem darmos conta entramos num recinto encantado. Maravilhoso. Como fundo um mar pintalgado de várias tonalidades de azul, qual pedra preciosa. E ao fundo da sala duas camas árabes envoltas em almofadas coloridas e rodeadas de panos esvoaçantes completam o cenário. A decoração é de um bom gosto inacreditável.

As mesas com azulejos decorativos e os tons quentes amarelo torrada e laranja acolhem-nos. Ficamos enfeitiçados, qual Cupido na alma do viajante. Tony conta que estas belas camas, docel, eram mais altas, pois os escravos dormiam por baixo mas os pés foram cortados para se tornarem mais confortáveis para os hóspedes.

A construção do resort é de influência árabe com recortes nas paredes para colocar utensílios decorativos como candeias, chixa ou simplesmente pratos. Tudo escolhido com requinte. Neste hotel a cor predomina: azuis, laranjas, vermelhos e castanhos misturam-se dando um toque humano ao ambiente. Apetece ficar ali. Sentarmo-nos naquelas camas ou mesmo dormir uma sesta embalados pela tranquilidade do mar. Sentimo-nos em casa.

Os quartos são igualmente bonitos com uma varanda térrea escandalosamente virada para o mar. Cada cliente tem um pedaço de praia privada. É demais este local. A areia branca, imaculada, quase virgem de pés humanos, sem beatas ou papéis no chão acaricia-nos o andar. E a água do mar? Quente quando se lhe toca e morna quando se mergulha…

Mais do que a temperatura o que sobressai é a sua limpidez e pureza que nos mostra a natureza na sua essência sem a intervenção da civilização moderna. O corpo mergulha deliciado neste mar imenso. A perder de vista. Quando voltamos à tona perdemos o Norte perante o infinito azul. Não há ninguém ao redor. Estamos sozinhos numa ilha qual descobridores do tempo de Vasco da Gama. São momentos inesquecíveis.

Os almoços na varanda da piscina são deliciosos mas é há noite que o excelente serviço nos deixa extasiados. A equipa do Matemo Resort ora prepara um jantar na varanda da piscina, iluminando o mar realçando aquele azul marinho que ganha uma alma imponente perante a escuridão da noite, deixando os peixes fazerem-nos companhia, nadando felizes de um lado para o outro.

O chefe Félix, de uma educação exemplar monta o grelhador junto da mesa e tudo é preparado no momento.

A luz das velas, o decorar das mesas e o som das ondas tranquilas é algo que jamais esqueceremos. Ou então junto a cada chalet, decora uma mesa na areia servindo os clientes junto da sua casa. Tudo isto feito com carinho. Com exclusividade. Com um sorriso nos lábios. Nunca vi nada assim. É sentirmo-nos especiais a cada momento. Esta ilha é perfeita para quem deseja ter uma lua de mel inesquecível. É decerto o melhor que se oferece no mundo.

©www.sapo.mz

Outras Informações

    * 24 chalets
    * Ar condicionado
    * Desportos:mergulho, "snorkelling, pesca, ski-aquático, "hobie cats" e kayaks
    * Lounge/Bar
    * Quartos climatizados com wc privativo
    * Restaurante interior e exterior, com varanda
    * TV Satélite
    * Volleyball

Formas de Pagamento: MasterCard e Visa

Como Ir

De avião de Pemba até Matemo. Com o Grupo Rani. Ou então de Barco da ilha do Ibo.

Contactos

Morada
Ilha de Matemo (Via Sat 01) - Matemo Island Resort - Arquipélago das Quirimbas - Província de Cabo Delgado

Contactos
Tony Driscoll - Matemo Island Resort
Tlf: (+258) 21 301 618
Fax: (+258) 21 301 625
Email: reservas@rani.co.mz
Site: http://www.matemoresort.com/

Comentários