Céu limpo com poucas nuvens

Terça | 21 Novembro

29C

31

20

Descubra o País < voltar

A baía dos três tons de azul

O ‘cântico’ dos pescadores completa o cenário paradisíaco da praia de Fernão Veloso.

17/03/2011 | Fonte: Por Marta Curto

Fotos

Fotos: Marta Curto

Fotos

  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso
  • Praia de Fernão Veloso

Praia de Fernão Veloso1 de 20

Mal se vai descendo para a praia de Fernão Veloso começa-se a ouvir um cântico. São vozes de homens, amadoras mas bem treinadas. Cantam em compasso regular, uns primeiro, os outros depois, para o refrão. São pescadores que chegam da faina, as vozes dão o ritmo ao remo.

Quando os vemos, aparece o cenário. Enorme, azul, pintalgado de palmeiras em terra, rochas ondulantes de um lado, areia branca do outro, dezenas de pequenos barcos de pesca e os seus homens que puxam as redes todos juntos, em uníssono.

A praia de Fernão Veloso, a escassos quilómetros da cidade portuária de Nacala, é o sítio ideal para relaxar, mergulhar e passear em sossego, longe de multidões. Em jeito de baía, a praia tem vários quilómetros de areal e alguns de rocha, mas todos banhados por um mar de três tons de azul, límpido e limpo.

O leitor poderá talvez torcer o nariz à zona de rocha, mas a verdade é que até estas são únicas, poeticamente desafiando a gravidade, em jeito de onda, caindo sobre o solo.

Ainda assim, se desejar estender a tolha sobre a areia e fugir da poesia, tem duas hipóteses. A primeira é apanhar um dhow, as típicas embarcações à vela, até ao outro lado da baía. A viagem não dura mais do que 30 minutos e custa-lhe 20 meticais.

Pergunte aos pescadores qual é o barco que faz a travessia, e prefira uma viagem matinal, de modo a aproveitar o dia, e vir almoçar do lado do continente, onde há mais escolha de restaurantes. Se quiser fazer a travessia a partir das 15 horas, peça ao barqueiro para esperar por si, já que não é certo que haja mais barcos depois dessa hora.

A segunda hipótese é a praia dos pescadores. Não tema, que é limpa, não tem anzóis, garrafas ou latas à deriva e ainda pode apreciar o espectáculo dos pescadores, miúdos e graúdos a puxarem as redes. Lá dentro vêm peixes minúsculos que a população local frita, salmões médios, que vendem, e enormes ouriços-do-mar, que são devolvidos às águas.

Os mais aventureiros podem aproveitar a viagem para fazer mergulho, já que a praia de Fernão Veloso tem enormes corais, perfeitos para a actividade.

À hora do almoço, opte pelo Libélula ou pela Kualala, ambos com uma vista fantástica sobre a baía.

©www.sapo.mz

Contactos

Morada
Nacala - Província de Nampula

Contactos

Comentários