Céu limpo com poucas nuvens

Domingo | 25 Agosto

31C

33

25

Descubra o País < voltar

Catembe

Admirar a cidade de Maputo do outro lado da Baía

03/04/2009 | Fonte: Por Teresa Cotrim

Fotos

Foto: Teresa Cotrim | A baía de Maputo vista de Catembe

Fotos

  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo
  • Do outro lado da Baía de Maputo

Do outro lado da Baía de Maputo1 de 90

Gostaria de admirar a cidade de Maputo como se a estivesse a ver por uma lente grande angular? Então, vá a Catembe.

Aí poderá também, principalmente pela manhã, encontrar a comunidade dos pescadores goeses conhecidos pelo excelente camarão que fazem chegar aos mercados da capital. Uma profissão que tem passado de geração em geração.

Narra a história que os antepassados deste povo emigraram da chamada Índia portuguesa no Século XIX para Moçambique à procura de uma vida melhor, fixando-se primeiro em Inhambane. Porém, devido a conflitos com as autoridades administrativas, pois além da pesca dedicavam-se ao fabrico da sura, bebida fermentada da seiva de várias espécies de palmeira, tiveram de rumar a Sul, a Catembe.

Há 100 anos este local era pantanoso, dificultando assim as condições de vida. As primeiras habitações foram construídas como palafitas, em cima de estacas fixadas no lodo, onde assentava um estrado mais sólido, que suportava a casa.

Era aí que os barcos ancoravam. Actualmente, apesar de modestos os imóveis são mais confortáveis. Ao conviver com os autóctones verificará o quão religiosos são, principalmente a Nossa Senhora, a quem prestam homenagem no dia 13 de Maio, fazendo uma peregrinação à vila de Namaacha.

Ao longo de Catembe poderá observar vários ícones de santos católicos. Este é um dos destinos mais escolhidos pelos jovens moçambicanos. Há várias carcaças de embarcações ancoradas na areia já enferrujadas pelo tempo; os namorados não as acham deselegantes. Pelo contrário. São autênticos ninhos de amor.

A praia está um pouco suja mas se levantar a cabeça; olhar em frente e reconstruir o passado conseguirá vislumbrar quão belo já foi este local.

©www.sapo.mz

Outros contactos

Marisqueira/Bar Jangada

Tem música ao vivo e dança. 

Aberto toda a semana das 09:00h às 24:00h. Tel.: 082 869 262

Como Ir

De Barco: a Transmarítima, situa-se na intersecção da Av. 10 de Novembro e a rua Belmiro Obadias Muianga. Para visitar Catembe, a pé apanhe o barco mais pequeno, a viagem dura 10 minutos e custa 4 mil meticais. De carro, terá de ir de ferry boat.

Cada viagem custa 120 mil meticais e dura 20 minutos. Horário: 05h00, 06h00, 07h00, 08h30. Depois há um barco de duas em duas horas. O último parte de Catembe às 23h45.

De Carro: de Maputo vai pela N4 em direcção à Naamacha, vira em Boane na linha férrea, apanha uma estrada picada quando vir uma placa a dizer Pequenos Libombos, aí vira à esquerda e continua até Catembe.

Contactos

Morada
Catembe - Província de Maputo

Contactos

Comentários